For Fun – 7 polegadas – 1993

Mil novecentos e noventa e três não foi um ano ruim. Não mesmo! Ruim era a qualidade de gravação de uma fita cassete com um ensaio com algumas músicas dessa primeira fase dos PINHEADS. Fita essa que caiu nas mãos de JR. Ferreira. Júlio freqüentava o 92 Degrees (bar de propriedade de JR.) e entregou a gravação para o dono do local. Ele gostou de California e comentou sobre o projeto que tinha para gravar compactos 7 polegadas com bandas locais.

Enquanto Júlio analisava a proposta do produtor, Dudu estava na praia curtindo sua “careca máquina dois” após ser aprovado no vestibular de Odontologia. Paulo foi visitar seu amigo baterista que não queria voltar da praia para ensaiar. Na praia, Dudu mostrou para Paulo “novos sons” que o amigo Mendes (inspirador da letra de California) tinha lhe gravado.

A fita cassete tinha o álbum auto-intitulado do Pennywise num lado, e metade do NOFX Ribbed no outro. Dudu sabia que os seus companheiros de banda também iriam ficar impressionados com essas duas novidades. E foi o que aconteceu! Aquela fita foi o tempero final para ferver o caldeirão de influências do trio! Paulo voltou para Curitiba com a fita Pennywise/NOFX e com duas letras que Dudu tinha composto na praia: Plutoflipper’s Land e Won´t Change For Good.

Quando Dudu voltou para Curitiba, Paulo e um inspirado Júlio já tinham idéias de músicas novas e queriam insistentemente participar do ambicioso projeto do JR. Com alguns ensaios, se constatou que as novas músicas eram muito boas: diretas, objetivas e bem acabadas. Com pequenas alterações, as letras de Dudu se encaixaram perfeitamente. Paulo ainda escreveu na íntegra Digital Thoughts.

O custo era honesto e assim aceitaram o desafio: gravariam um compacto em vinil! A expectativa era grande, afinal, entrariam num estúdio de gravação pela primeira vez. A desconfiança em relação ao projeto não era pequena, assim como a insegurança e a inexperiência. Era hora de ensaiar exaustivamente as músicas selecionadas. As três músicas novas, ultra-rápidas, foram escolhidas, assim como as mais velozes da primeira demo.

PINHEADS foi uma das últimas bandas do projeto à entrar no estúdio. Os produtores já sabiam o que podiam extrair daquelas bandas novatas e também sabiam de suas inúmeras limitações. A noite de gravação no estúdio Solo, sob a batuta de Victor França e produção de JR. Ferreira, se deu sem maiores problemas.

A banda estava afiada e sabia o que queria. As músicas da demo (Psycho Zone, Death Is Not The End e California) apareceram mais aceleradas. Won’t Change For Good, Digital Thoughts e Plutoflipper’s Land vislumbravam a futura sonoridade do trio. Todas as faixas receberam backing vocals de Paulo e Oohs and Aahs de Júlio e Paulo. JR. também participou fazendo La-La-Las em Won’t Change For Good.

"Mini release" com a capa do compacto e um breve texto

"Mini release" com a capa do compacto e um breve texto

Júlio ficaria responsável pelo conceito gráfico e a arte deveria ser entregue logo. Em poucos dias, o guitarrista chegou com tudo pronto: desenhos, recortes, título etc. Dudu e Paulo gostaram do trabalho, mesmo sendo muito parecido com a capa do álbum No Control, do Bad Religion.

Mas Dude lembrou de outros álbuns que adorava e que também tinham capas semelhantes à idéia de Júlio: Angelic Upstarts, No Reason Why?; D.O.A., The Dawning of a New Error; e Fugazi, Repeater. Assim, ficou tudo como Júlio tinha elaborado. Na contra capa, o nome da banda, o nome das músicas, o selo Bloody/92 Degrees e desenhos com a formação (Drums: Eduardo Munhoz; Guitarre: Julio Linhares; Bass/Vocals: Paulo Kotze).

Contra capa. Arte por Júlio

Contra capa. Arte por Júlio

Dudu e Paulo trataram de elaborar algo para ser encartado ao compacto. Fizeram mil cópias xerocadas em papel preto e branco com as letras, quinhentos “mini-releases” e uns duzentos adesivos caseiros feitos com papel contact.

As seis letras no encarte caseiro do compacto

As seis letras no encarte caseiro do compacto

O release trazia telefone, endereço e um breve texto: “Júlio (guitarra, back vocals), Dude (bateria) e Paulo (baixo e vocal) formam os PINHEADS. Com um público fiel e heterogêneo, a banda possui mais de vinte músicas, influenciadas pelo Punk Rock (Ramones, Buzzcocks) e principalmente pelo Hardcore americano (Bad Religion, NOFX, Circle Jerks, Agent Orange). Com as seis primeiras músicas do seu primeiro compacto (Pinheads For Fun), gravado pelo selo “Bloody”, os PINHEADS apresentam um som único, original; um hardcore melódico, irreverente, FOR FUN”.

7 Comentários

Arquivado em 1993

7 Respostas para “For Fun – 7 polegadas – 1993

  1. Marcos Vinícius

    Bota tempo nisso mermão…hehe

  2. Caraca!!! Eu tinha um fanzine nessa época aqui no Rio – o 2 hard noize – e os caras do Soutien Xiita me emprestaram esse compacto que eu gravei em k7 e escutei até arrebentar a fita!! Puta merda, tô quase chorando lendo essa porra toda…

  3. Abud


    No minuto 1:30 surge a belíssima peita do Pinheads, pogando com uma fera.

  4. Que pena que os links estão quebrados. Eu tenho esse EP em vinil até hoje. Por volta de 93/94 ele pirou a cabeça de um grupinho de punks e roqueiros aqui em Itabuna, Bahia – só eu tinha ele. Será que há algum novo link alternativo?

    • dudumunhoz

      Boa Jose Carlos!
      Bom saber que chegamos até a Bahia.
      Não estou sabendo de algum outro link… mas dá uma procurada que fica fácil.
      Aquele abraço, dudE

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s