You Can Trie

Numa quarta feira do mês de junho (14/06/95), PINHEADS, Ex-Lax e Muzzarelas tocaram no Aeroanta de Curitiba. O Caderno G da Gazeta do Povo continuava divulgando as bandas locais, e numa das edições promoveu um debate pouco consistente sobre bandas covers versus bandas autorais.

A discussão girava em torno da Relespública que, para se manter na ativa, precisava fazer shows tocando versões de The Who, The Animals e outras bandas famosas, em detrimento do seu próprio repertório. A Relespública, logicamente, preferia tocar apenas músicas próprias, mas o público curitibano tinha uma imensa tradição de bandas cover. Talvez aí se explique um pouco do porquê Curitiba nunca ter tido uma banda no primeiro escalão do rock nacional.

Nos anos 90, a única banda curitibana que se aproximou do mainstream foi o Senhor Banana. O pop inofensivo do quinteto era um projeto artificial, uma união de vários integrantes de outras bandas covers da cidade. Não tinha espontaneidade e, naturalmente, não deu certo. Sua “maior conquista” foi um show na Jamaica e ser o vencedor do Primeiro Rock Gol da MTV.

Sem querer se aprofundar na irrelevante discussão (por entenderem que o vilão da história era o próprio público curitibano), os PINHEADS preferiram confundir, e assim, mais uma vez não iniciaram o show com Oh Ja!, mas com um cover, Beat Me Senseless, dos Circle Jerks.

"Everyone´s jumping and stage diving, the mikes are on the floor..."

"Everyone´s jumping and stage diving, the mikes are on the floor..."

O trio estava numa fase intensa de dois ou três shows por mês. Eram apresentações longas e cheias de energia. Gatorade era obrigatório. Perdiam cerca de um quilo por show. O pouco dinheiro que ganhavam, utilizavam para custear viagens para shows fora de Curitiba ou para gravar novas músicas no futuro.

Na noite chuvosa de 24 de junho de 1995, os PINHEADS, pela primeira e única vez, abriram o show de uma banda internacional. Foram escalados para tocar antes dos TOY DOLLS. O trio inglês era uma das bandas favoritas dos caboclos, principalmente, de Paulo (que tinha todos os CDs das bonecas de brinquedo) e de Júlio (que tinha várias camisetas e quase todos os vinis). Foi uma honra abrir para uma banda tão clássica e de tanta qualidade.

O trio liderado pelo gentleman Olga fez uma apresentação histórica. Aeroanta super lotado, com público sedento por punk rock. Os poucos shows punk gringo na terra dos pinheirais tinham sido New Model Army (no Coliseu), The Exploited (no Aeroanta no dia 31/03/1993), Fugazi (no 92 Degrees)  e Ramones na Pedreira. Era a turnê do álbum Orcastrated e o nome da banda era com “z”: Toy Dollz.

Flyer: Toy Dolls com "S", sem nome da banda de abertura e sem preço do ingresso.

Flyer: Toy Dolls com "S", sem nome da banda de abertura e sem preço do ingresso.

Os PINHEADS fizeram um show curto, com apenas 10 músicas, em um set list mais punk rock do que hardcore. A bateria de Dude ficou na linha de frente, posicionada entre Paulo e Júlio. Punks ortodoxos xingavam e cuspiam no trio curitibano. Fato que apenas os deixavam mais concentrados e precisos.

You can try

You can try

Na hora do cover da noite, os punks ortodoxos se espantaram com uma versão fiel de You Can Try, dos suécos Rescues In Future. A música era uma das melhores do clássico vinil duplo The Vikings are Coming. Não teve como. Os punks se renderam, pogaram, cantaram e até aplaudiram o trio de “playboys curitibanos”.

O primeiro semestre de 95 foi o semestre com o maior número de shows e viagens. Um mês de descanso era mais do que necessário.

5 Comentários

Arquivado em 1995

5 Respostas para “You Can Trie

  1. PUNK ORTODOXO 1995

    Caraca! Toy Dolls no saudoso Aeroanta… onde vi o The Exploited também. Eu estava lá, joguei uma jaqueta jeans (que me caiu nas mãos) em cima da bateria na hora do show dos Pinheads, rsrsrs. Foram muitas váias sim, eu lembro, e lembro também do cover do Rescues in Future. Parabéns pelo material publicado.

  2. O punk ortodoxo mostrou atitude ao assumir o ato praticado em 1995…

  3. Paulo Kotze

    Show do Toy Dolls foi uma coisa de louco…

    Profissionalismo dos caras era total. Contrastava com nosso amadorismo. Frutas no camarim, enquanto nós comíamos Gudam Garan com cinzas batidas no copo que tomávamos… Era uma gurizada de um lado, e de outro lado uns velhos que tinham as manhas de uma vida de loucuras, sabendo administrar sua saúde….

    Neste dia uma chuva torrencial caiu na saída do aeroanta, e acabei com meu fusca pifado esperando ela passar, dormindo um pouco com uma namorada no banco de trás…

    Coisas boas daquela época…

  4. Hélio Godoy

    Lembro deste show antológico no Aeroanta, realmente tinha uma cara de punks, mas também tinha um grupo de carecas que ficou pogando do lado direito do palco, que para variar, esbanjavam socos e pontapés, o que deixava a coisa tensa. O show do Pinheads foi tão curto, que estava tomando uma bera nas mesas do fundo e quando cheguei no pogo o show já tava acabando, deixando um gosto de quero mais, o que foi saciado pelos Toy Doll’z’. Na minha opinião, uma das melhores noites do saudoso Aeroanta…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s