Início de 1995

O ano de 1995 começou apenas em fevereiro, com dois shows pelo interior de SP: Jundiaí e Santa Bárbara do Oeste. Em Jundiaí, os PINHEADS tocaram em um bar tosco chamado Blackout, com uma aparelhagem ruim e com um público pequeno, porém, com a presença de alguns interessados como o DJ Ary e uma banda de Americana que abriu o show, Tina Pepper.

Pinheads Blackout

Em SBO tocaram no dia seguinte, quatro de fevereiro, num sábado, juntamente com Tube Screamers e Mullekadas. O Hitchcok era um espaço clássico do interior de SP e era comandado pelos irmãos da banda Concreteness.

Muito calor em SBO

Muito calor em SBO

Neste show, um encalorado Júlio foi tirando camiseta, depois tênis e meia, depois ficou apenas de cueca samba-canção. Foi um bom show e valeu pelo público presente: Fran, Tatu, Carioca, ET e os Tube Screamers, que fizeram um dos últimos e melhores shows de sua história. Com os Tube Screamers a saudável troca de sons também era intensa. Marcelo Fusco, o baterista, era um aficcionado por bandas da gravadora SST.

Assim, os PINHEADS completavam a discografia de bandas como Descendents, Minutemen e Black Flag. Júlio e Luli voltaram para Curitiba, Dudu e Paulo foram para o RJ passar uma semana com Laércio, Nervoso, Demétrius e Cláudio, os Beach Lizards. Depois de quatro dias, Dudu voltou. Paulo ficou mais dois e junto com o Anarchy Solid Sound passou mais um final de semana na região de Santa Bárbara, Jundiaí e Americana!

Pinheads Hitchcock

Paulo respirava Medicina e punk rock e, aproveitando seus inúmeros contatos pelo Brasil, mais as maravilhas tecnológicas dos novos computadores da época, fez o Back Core, um fanzine de quatro páginas. O Back Core teve três edições e seu mote principal era a divulgação das boas bandas punks nacionais.

Filipeta de divulgação do zine

Filipeta de divulgação do zine

Phú, da banda brasiliense DFC, estava arquitetando um disco homenagem aos Ratos de Porão. Os PINHEADS foram convidados e escolheram a música Traidor. A música nunca foi gravada, pois o projeto ficou na geladeira e acabou sendo lançado apenas em 1998. Os Anões de Jardim e os Krápulas representaram Curitiba nesse tributo intitulado Traidô – 20 bandas tocando Ratos de Porão.

Deixe um comentário

Arquivado em 1995

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s